Os quelônios são fonte de recurso alimentar historicamente importantes para os povos da várzea do Baixo Amazonas. Estes animais já sofreram forte pressão de exploração, e atualmente demandam ações de conservação para conservar as populações em meio natural e seu uso de forma sustentável pelos ribeirinhos. Não existem Unidades de Conservação ou recurso governamental permanente dedicados à proteção dos ecossistemas de rios e lagos de várzea no Baixo Amazonas. A conservação dos quelônios e demais recursos naturais é dependente da participação ativa dos moradores locais, em especial pela falta de fiscalização na região. Existem comunidades que tem iniciativas próprias de manejo de quelônios em seus territórios através da proteção de praias de desova e do estabelecimento de áreas de reserva onde os animais adultos não podem ser capturados. Neste contexto, a ONG Sapopema atua com o objetivo promover o aumento das populações de quelônios na região do baixo Amazonas através da capacitação, fortalecimento, divulgação e disseminação de práticas comunitárias para o manejo sustentável de quelônios.

Os Quelônios Amazônicos

Existem 15 espécies de quelônios de água doce e semiaquáticos na amazônia, dentre os quais se destacam as espécies da Família Podocnemididae pela abundância e importância econômica e cultural na região. São cinco espécies na amazônia brasileira das quais 3 especíes: tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), tracajá (Podocnemis unifilis), pitiú (Podocnemis sextuberculata). Na área de várzea do Baixo Amazonas abriga em maior quantidade tracajás, tartarugas e pitiús.

Histórico de Exploração e Situação Atual

Os quelônios representam importante fonte de alimento para populações ribeirinhas na amazônia desde o período pré-colonial. O hábito de consumir estes animais e seus ovos foi perpetuado ao longo das gerações, e esta cultura encontra-se enraizada até os dias atuais em comunidades tradicionais e mesmo nas cidades à beira dos rios amazônicos. Estes animais sofreram forte pressão de exploração comercial desde o período colonial, e atualmente demandam ações de conservação para promover o aumento das populações na natureza e seu uso de forma sustentável. 

O Baixo Amazonas

O baixo Amazonas é uma das áreas de várzea mais densamente povoadas na Amazônia, sendo caracterizado pela presença de grandes ilhas fluviais e área marginal de várzea abrigando comunidades cujas principais atividades são a pesca artesanal e a agricultura e pecuária de pequena escala. 

Iniciativas de Manejo e Conservação de Quelônios

A Sapopema comencou seu trabalho com a capacitação e fortalecimento das iniciativas de três comunidades da várzea com história e práticas distintas de manejo de quelônios. São elas: Água Preta, Correio do Tapará e Urucurituba. As comunidades Água Preta (desde 1990) e Correio do Tapará (desde 2013) protegem áreas de reprodução utilizadas principalmente por tracajá, chegando a mais de 1500 ninhos protegidos anualmente. Já a comunidade de Urucurituba realiza a proteção de uma importante área de desova localizada no leito do rio Amazonas, onde tartarugas-da-amazônia vêm desde 2011 depositar seus ovos. As iniciativas comunitárias contam também com o apoio das Secretarias de Meio Ambiente dos municípios de Santarém e Alenquer. A SAPOPEMA espera que sua atuação na capacitação e fortalecimento destas iniciativas provoquem a disseminação das iniciativas para outras comunidades e o aumento das populações de quelônios na região do baixo Amazonas

DSC00234.JPG